Como reduzir sua conta de energia elétrica sem gastar muito dinheiro

Card image cap


A fatura de energia elétrica é uma das despesas operacionais que mais assusta os consumidores, em especial, os de grande porte. Visando a driblar essa realidade e a minimizar o impacto financeiro gerado por esse insumo produtivo tão importante, a energia solar fotovoltaica vem surgindo como a principal alternativa de mercado para diminuir os altos custos com energia elétrica, porém, além do alto investimento de aquisição, não é a única forma de reduzir sua conta. Você já sabe que outras alternativas são essas? É possível reduzir a conta de energia sem realizar grandes investimentos? O conteúdo abaixo vai lhe mostrar que, além de ser possível, você pode adotar tais medidas em seu negócio!

1. Otimização dos sistemas térmicos e de iluminação

Os sistemas térmicos e de iluminação representam maior percentual do valor total da conta, ou seja, estamos tratando dos maiores “vilões” de consumo de energia. Tratando do sistema de iluminação, um dos caminhos mais conhecidos é realizar a troca da iluminação convencional pela tecnologia LED, possibilitando uma queda na conta de energia em até 30%. Vale ressaltar também, que o aproveitamento da iluminação natural, a limpeza das lâmpadas e luminárias periodicamente e a instalação de sensores em locais como banheiros, corredores, halls etc. são algumas medidas importantes para obter maior eficiência energética do seu ambiente. No caso dos equipamentos térmicos, opte sempre por equipamentos com o SELO PROCEL A, evite proximidades de fontes frias e quentes e evite obstrução, que dificulta a circulação do ar, dos aparelhos. Uma dica de ouro: instale controladores para regulação de temperatura e de funcionamento dessas máquinas, otimizando o alto consumo de energia e uso dos equipamentos no horário de ponta! Essas ações podem surtar um impacto de redução do consumo de até 30%.

2. Definição de metas de redução e conscientização dos colaboradores

Para diminuir a conta de luz é fundamental definir quais serão as metas de redução. Para isso, uma ferramenta, alimentação de planilhas ou softwares de gestão de energia, que aponta os dados operacionais de consumo energético pode auxiliar nessas decisões. Faça o mapeamento do perfil energético por setor, identifique os pontos que mais ocorrem desperdícios e quais oportunidades de melhoria de processos devem ser aplicados na gestão. Nesse cenário, é crucial incentivar o uso consciente de energia através da capacitação os colaboradores, incorporando um melhor conhecimento e direcionando esforços gerais na organização. A promoção de campanhas de conscientização, realização de reuniões periódicas conjuntas para tratar das metas de redução e estimular o consumo consciente por meio de competições entre departamentos (com sistema de bonificação). Pequenas atitudes como essas podem contribuir com economia na conta de energia elétrica.

3. Revisão elétrica para balanceamento de cargas

A ausência de revisões contínuas das instalações e das cargas pode gerar tanto um risco a integridade patrimonial e humana do local quanto um impacto financeiro ao consumidor. Equipamentos obsoletos e o desequilíbrio das cargas resulta no superaquecimento dos condutores, o que pode acabar provocando incêndios e escape de energia. Portanto, analise o quadro de distribuição, faça a inspeção de cabos, tomadas e interruptores, realize a manutenção preventiva de seus equipamentos e troque elementos incompatíveis à demanda de consumo. Dependendo da extensão da revisão, a economia pode ser de até 10% no valor total da fatura.

4. Enquadramento tarifário e cobrança de multas tecnicamente especificadas na conta

Você já parou para pensar que pode está pagando mais do que o necessário? Isso é mais comum do que você possa imaginar. Esses valores podem estar “escondidos” na incidência de multas e/ou na inadequação do enquadramento tarifário ao regime de operação. Por isso, é de extrema importância conhecer bem a sua conta de energia, cada linha desta contém, além de termos técnicos, informações econômicas indispensáveis. Dito isto, é conveniente verificar com constância se sua empresa está na opção tarifária correta e não está pagando multas por atraso de pagamento, por ultrapassagem de demanda contratada e por excedentes reativos. Esses ajustes contratuais frente à concessionária podem gerar uma redução de até 30% da conta de energia.

5. Adequação da rotina de trabalho e de produção

Os famosos horários de ponta, conhecido também como horário de pico de consumo energético no país. que ocorrem normalmente por volta das 17h30 às 21h30, são significativamente mais custosos e, a depender da classificação tarifária da unidade consumidora, representam um percentual impactante no valor final da conta. Nesse sentido, é fundamental a adequabilidade do tempo de funcionamento das atividades desempenhadas para evitar um alto consumo de energia nesse intervalo de horários. Reduzir a jornada, reconfigurar máquinas e desligar equipamentos em stand-by ou, se viável a partir de uma análise técnica e financeira criteriosa, livrar a produção ou baixar a produtividade nesse tempo são ações de baixo custo e que tem grande potencial de economia.

Se você não não quer continuar perdendo dinheiro e sempre opta por aquilo que é melhor para o seu negócio, o passo mais simples e efetivo para mudar essa realidade é uma boa Gestão Energética e uma Análise Tarifária criteriosa da conta e nós podemos te ajudar nisso.



Você vai se interessar também

Card image cap
Fator de Carga: sua empresa está consumindo energia de forma eficiente?

Saiba como o fator de carga influencia na redução da sua conta.

Card image cap
Importância das subestações de energia

Para que serve uma subestação de energia? Por que é tão importante para distribuição de energia? Entenda agora suas funções e características.

Card image cap
Instalação de Geradores: Como garantir que ocorra de forma segura

Entenda como funciona o processo de instalação de um grupo gerador elétrico.